quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

O maior presente do Natal

O mês de Dezembro sempre foi marcante durante a minha infância. Finalmente chegava as férias escolares, o que era um alívio não somente para mim, mas também para minha mãe que todos os dias tinha que enfrentar ônibus lotados para nos levar à escola no centro de Nova Iguaçu no estado do Rio de Janeiro.
    Outra lembrança marcante eram os especiais de final de ano na televisão. Para um menino criado no subúrbio férias era sinônimo de ficar o dia todo na frente da TV (até por que, imagine um albino nos quarenta graus das praias do Rio!), Episódio especial do Chaves de natal, animações em massa de modelar contando a lenda do papai Noel (esse só o pessoal com mais de vinte e cinco anos deve lembrar), natal dos Flintstones, dos Jetsons, dos ursinhos carinhosos (hei, não ria! Eu era criança!) e até o desenho do He-Mam tinha um episódio de natal.

    Entretanto, a maior de todas as expectativas era obviamente o tão esperado presente de natal. Em minha casa nunca houve a presença da figura do papai Noel, meu pai sempre brincava conosco dizendo que quem trazia os brinquedos era o papai Joel (nome do meu pai). Meu pai sempre se esforçava para nos dar bons presentes, lembro de ter ganhado por vários anos os brinquedos  top de linha, inclusive vários transformers (os originais lá dos meados da década de oitenta) entre outros.
    Os anos passaram, e com eles foram embora os desejos da infância, e o natal se tornou um feriado para estar junto com a família e amigos próximos, em alguns amos até a troca de presentes era deixada de lado (exceto pela Bianca minha irmã caçula e dengo da casa).
Levou muito tempo para eu ouvir falar que se comemorava o nascimento de Jesus no natal, mas essa informação sempre é soterrada por uma avalanche de ofertas, cartões com pinheiros e paisagens cobertas de neve, o rosto rechonchudo do papai Noel em pacotes e embalagens, entre tantos outros produtos ligados a essa época.
O que eu não sabia, e infelizmente muita gente ainda não sabe, é que o maior presente de natal da história já havia sido entregue para a humanidade há muito tempo. Não, não foi o papai Noel, nem mesmo o meu amado papai Joel quem trouxe esse presente. Deus, o pai criador, nos presenteou com tão valoroso presente.
Desde os dias de Adão e Eva o Senhor prometeu à raça humana um Salvador (Gênesis 3. 15). E aquilo que Deus promete Ele cumpre!
Lembro-me de quantas vezes eu e meu irmão Alessandro (pensou que ia escapar malandro?) perturbávamos ao meu pai querendo garantir o presente preferido. Por várias vezes ele tinha que jurar que daria tal brinquedo. E por muitas vezes ele ficava nos atiçando com frases do tipo: “Olha um é amarelo”. Ou então : “Ele é desse tamanho”, e fazia o tamanho com as mãos.
Deus faz as mesmas promessas e brincadeiras em todo o antigo testamento. Homens como Abraão, Isaque, Jacó, Moisés, Davi, Isaias, entre tantos outros, receberam a certeza de Deus que o messias viria. Em muitos lugares Deus deu dicas de como ele viria, dicas como essas: “Ele vai nascer de uma virgem” (Isaias 7. 14); “Ele vai nascer em Belém na Judéia” (Miquéias 5. 2);  “Ele passará uma temporada no Egito” (Oséias 11.1), entre tantas outras profecias messiânicas. É lindo ver todo o antigo testamento apontando para Jesus!
E, como era esperado, chegou o dia de Deus entregar o seu presente de natal aos homens! A bíblia afirma que Jesus, o eterno filho de Deus, abriu mão de sua divindade e se tornou homem para redimir a humanidade. Então, pelo poder do Espírito Santo, Jesus se tornou um pequeno embrião no ventre de uma jovem da Galiléia.  Depois do período de gestação Jesus vêm ao mundo em uma estrebaria, cômodo inferior de uma casa usado para guardar grãos. Ali, naquele lugar tão humilde, embalado e deitado em uma  manjedoura, estava o maior presente de natal da história! E Deus, semelhante ao pai feliz por realizar o desejo dos filhos, providenciou meios de comunicar esse nascimento.
Um grupo de pastores cuidava de suas ovelhas aproveitando o clima ameno da noite, e de repente, a visão de um anjo mensageiro lhes assombrou. Após o susto uma alegria indescritível, o anjo anunciou o nascimento do Messias em Belém. Os céus foram tomados por um coral de anjos, pouco depois os pastores estariam diante do Redentor. Ao mesmo tempo, sábios estudiosos de astronomia e das profecias, viram um sinal nos céus e o ligaram às profecias messiânicas. Então, partiram de suas nações no oriente para encontrar o presente de Deus.
Ele nasceu! Para cumprir a missão de resgate da humanidade! Esse nascimento é tão importante nos planos divinos quanto a  sua morte e ressurreição!
Caro leitor, meu objetivo nesse artigo não é discutir o consumismo em torno do feriado, também não vem ao caso o fato de Jesus não ter nascido em Dezembro (levando em conta o caso dos pastores pastoreando de noite supõem-se que a data mais certa está entre Março e Maio, período em que o clima da palestina permite tal ato noturno). Espero com a ajuda de Deus te lembrar que Jesus foi entregue a mim e a você devido ao grandioso amor de Deus. E, espero que neste natal e no ano que se aproxima, todos nós aproveitemos da paz com Deus que somente Jesus pode proporcionar.
Se alguém me perguntar hoje qual o melhor presente de natal que eu ganhei, com certeza eu citarei o profeta Isaias:
  Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. (Isaias 9.6)
Abra o presente de Deus para você!
Feliz natal em Cristo e feliz ano novo!

0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.