quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

A alegria de uma noiva vigilante.

   Nesse último dia nove de Janeiro houve uma grande festa para a minha família. Depois de dois anos de namoro e noivado a minha irmã caçula Bianca contraiu núpcias com o Maurício. A cerimônia foi linda segundo todos os nossos convidados. Os noivos estavam lindos, a orquestra tocou de modo magistral (aliás, como de costume), o cerimonial perfeito, as belas mensagens dos pastores, a recepção, tudo lindo!



   Evidente que as pessoas mais felizes no recinto eram a Bianca e o Maurício, lembro-me que verti lágrimas de alegria ao contemplar eles sempre sorrindo. Nesse momento lembranças começaram a jorrar em minha mente, lembrei-me de várias cenas do namoro/noivado deles. E essas lembranças foram as responsáveis por esse artigo.

   Nesses dois últimos anos eu vi a minha maninha se transformar de uma namorada em noiva. Todo início de namoro é desafiador, a fase de conhecer a pessoa e desenvolver as bases para a união futura. Eu sempre brincava com a Bia dizendo que seus namorados sofreriam por que ele teria que reportar a três pais (meu pai, eu e o meu irmão Alessandro), no entanto o namoro deles foi exemplar e não demorou muito para perceber que eles estavam prontos para um compromisso maior.

   Logo veio o noivado, o namoro havia se transformado em um compromisso, apesar de ainda não estarem casados havia uma aliança entre eles. Eles deveriam se preparar e esperar o dia do encontro nupcial. Foi nessa fase que eu vi a minha menina se transformando em uma noiva vigilante. Foram dias de trabalho árduo, oração, economia, planejamento, tudo isso visando a meta a ser alcançada.

   Imagino que não é fácil o papel de noiva, muitas vezes eu via a Bianca esgotada devido ao trabalho, mais de uma vez eu tive que ampara-la quando as lágrimas vertiam de seus olhos devido as lutas e sei que não fui o único da família a fazer isso! Devido à distância (a Bia morava aqui em Cassilândia MS e o Maurício em Brasília DF) cada despedida era triste de assistir, como eles desejavam a chegada do dia em que ficariam juntos! Mas, como Deus é fiel, finalmente eles estavam diante do altar. Tudo havia acontecido segundo os seus planos.

   E lá estava a Bia, linda, adornada como uma princesa, finalmente ao lado do noivo amado! Imagino que nenhuma lembrança dos dias anteriores ousou entrar de penetra na festa!

   E, como pregador não perde uma oportunidade, é evidente que eu não poderia deixar de falar do maior cortejo nupcial da história, que ainda está por vir.

   É necessário explicar algumas tipologias bíblicas: Jesus é chamado na bíblia de cordeiro de Deus (João 1. 36), e a igreja é chamada de noiva do cordeiro (João 3. 29). Isso significa afirmar que a igreja tem um compromisso com Jesus! Um dia o noivo virá buscar a noiva, cabe à noiva trabalhar, vigiar e aguardar por esse grande dia!

   Veja bem, a bíblia chama a igreja de noiva e não de namorada de Jesus. Existem muitas pessoas que são namoradas de Jesus! Gostam Dele, gostam de louvores e de ouvir a palavra, pedem oração, mas quando são chamadas a assumir um compromisso esquivam-se! Não querem assumir um compromisso público com Jesus! Se você é uma dessas pessoas eu tenho uma triste notícia para te dar: Jesus não é namorador e tão pouco “pegador”, ele é fiel à sua noiva!

  Na parábola das dez virgens (Mateus 25. 1 ao 13) Jesus nos mostra a necessidade de uma noiva ser vigilante. Leia, reflita e tome atitudes para ser encontrado pronto(a) para esse grande dia.

   O dia vem, em que encontraremos com nosso noivo amado e esperado. Nesse dia cessarão o choro, as tristezas e as dores. A igreja estará linda e adornada para seu noivo, uma orquestra celestial nos saudará no céu, o cerimonial do cortejo será perfeito!

   Maranata! Ora vem Senhor Jesus!

   E até esse dia, desejo toda felicidade para Maurício e Bianca, Deus lhes abençoe grandemente!

0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.