quinta-feira, 22 de abril de 2010

Graça, Amor e Comunhão.

“A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós” (2 Coríntios 13. 13).
Em muitas de nossas igrejas esse versículo é usado como bênção e saudação de encerramento do culto. As despedidas das cartas paulinas seguem esse padrão, denominado pela teologia de bênção apostólica.
Há alguns anos uma irmã nova convertida me perguntou acerca da ordem em que os membros da Trindade Divina aparecem na bênção. “Não deveria ser o amor de Deus primeiro”? “Por que essa ordem”?
Confessei à irmã que nunca havia pensado a esse respeito, e que, portanto não poderia lhe dar uma resposta imediata. Pedi um tempo para meditar e pesquisar sobre o assunto e que na aula de discipulado eu traria uma resposta.

Na Quinta-feira (dia do discipulado na minha igreja) após dar início à aula eu desenhei no quadro o esquema a seguir:

Ser humano_____ _____ _____ _____Céu

Comecei a aula explicando que todo ser humano deseja ir ao céu após a morte, até mesmos que afirmam não acreditar na existência de céu ou inferno. Entretanto, a ponte metafórica entre o ser humano e o céu nem sempre é um caminho livre. Podemos ver no esquema acima que existem três espaços vazios na ponte, impedindo qualquer tentativa de travessia.
Todos nós nascemos portando uma triste herança, o fardo do pecado! Ao tentar trilhar o caminho para o céu logo descobrimos que o fardo do pecado ultrapassa o peso máximo permitido. Nesse momento descobrimos a urgência de nos vermos livres do pecado (todos que possuem pecados são considerados criminosos do outro lado da ponte), porém, quem poderia quebrar as algemas que nos ligam ao pecado?
Nesse momento a graça de nosso Senhor Jesus se manifesta. Ele se apresenta como o Salvador, Ele afirma que tem o poder de retirar o fardo do pecado, transformar a pessoa em nova criatura e de abrir o caminho para o céu. E a melhor de todas as notícias: Não custa nada! Basta tão somente a pessoa reconhecer o que já está óbvio nesse momento, o seu estado de pecador e a necessidade de mudar de vida para chegar ao céu.
A graça é um favor imerecido, Jesus pode mudar a história do mais vil pecador. Basta uma confissão sincera para que as algemas de morte do pecado sejam quebradas e o pesado fardo caia por terra!
Imediatamente um dos espaços vazios da ponte é preenchido pela graça do Senhor Jesus, permitindo a caminhada.

Ser humano_____Graça_____ _____ _____Céu

O caminho da graça nos direciona ao centro da ponte. Jesus faz questão de nos levar até o pedágio do amor. Antes mesmo de chegar a esse local uma figura imponente se destaca, majestoso e cheio de glória o Deus Pai e Criador aguarda em seu trono.
Como se comportar diante de alguém tão sublime e que antes não podíamos alcançar por causa dos nossos pecados? Parece natural evita-lo e se sentir envergonhado e com receio? Infelizmente tenho visto muitos cristãos confessos com uma atitude parecida. Jesus lhes proporcionou um caminho até a sala do trono de Deus, mas eles acreditam serem “muito pequenos” para procurá-Lo.
Imagino Deus com um sorriso corrigindo-o: “Filho amada não temas. Eu te amo por que te criei, por te amar enviei a Jesus para te resgatar do fardo do pecado e te amo mais ainda por que você entendeu e aceitou o meu chamado”!
Deus nos atrai por nos amar, e quem ama deseja comunhão com o ser amado. Busque um relacionamento sadio com o seu Deus amado leitor, por nos amar Deus sempre nos proporciona dádivas maravilhosas. Continuemos imaginando a fala de Deus no pedágio do amor:
“Filho, a graça de Jesus te proporcionou ter acesso ao meu amor. Por amor Eu criei um céu onde um dia estaremos juntos para sempre. A sua caminhada ainda não terminou, lá fora existe um mundo mergulhado em trevas! Contudo, não deixarei alguém tão amado caminhar às cegas e nem sozinho, me acompanhe”.
O grande amor de Deus preenche mais um dos espaços vazios da ponte.

Ser humano_____Graça_____Amor_____ _____Céu.

O Pai nos conduz até o último espaço vago pelo caminho do amor, onde encontramos alguém muito especial. O Criador faz as apresentações:
“Espírito Santo essa pessoa creu no meu filho Jesus e agora usufrui do meu amor. Ele precisa caminhar pela estrada da vida e não podemos deixar ele caminhar sozinho! De hoje em diante você irá com ele”. Se voltando ao ser humano o Pai diz: “Você que até hoje caminhou sozinho terá um companheiro especial. O Espírito Santo será seu guia, conselheiro, consolador e amigo íntimo. Tenha uma caminhada exemplar e feliz, e quando chegar o momento certo, Ele te guiará ao lar eterno. Ouça as minhas palavras, nem mesmo a morte impedirá esse nosso encontro triunfal”!
E então a comunhão com o Espírito Santo nos proporciona caminhar para alcançar o céu.

Ser humano_____Graça_____Amor_____Comunhão_____Céu

Confesso que essa foi uma das melhores experiências que já tive no ministério do ensino cristão, claro que apresentei com essa alegoria apenas um resumo de tudo o que ensinei. No fim da aula pude perceber muitos alunos emocionados e durante a oração uma aluna do discipulado foi batizada com o Espírito. Ao bom Deus honra e glória para todo o sempre!

0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.