domingo, 18 de março de 2012

A perda da identidade.


Por Alexfábio Custódio.

Segundo o IBGE já somos mais de 55 milhões de evangélicos no Brasil. O gráfico do crescimento das igrejas nas duas últimas décadas impressiona, e caso esse crescimento permaneça no mesmo ritmo, em 2025 os evangélicos representarão 50% da população brasileira.

Possuímos grandes templos, estamos em todos os tipos de mídias, temos engajamento político, realmente as igrejas evangélicas alcançaram grandes conquistas. Entretanto, no meio de tantos números otimistas, existe um fenômeno nocivo cada vez mais presente em nosso meio: A perda da identidade!

Quero ilustrar esse fenômeno com uma situação contada por meu pai:

Ele foi a um posto de saúde para uma consulta de rotina, lá chegando encontrou uma fila (evidente), e enquanto esperava a voz de uma mulher se destacava entre as outras. 


- Eu não perdôo mesmo! Comigo é assim, gosto de saborear a vingança!

Meu pai ficou impressionado e pensava: “Jesus quanta ira no coração dessa mulher, ela precisa conhecer do Teu amor!” E o falatório continuou por mais alguns minutos. Quando todos já estavam saturados ela soltou a pérola do dia: 


- Graças a Deus eu sou uma mulher evangélica!

Meu pai disse ter ouvido alguns “humfts” e “affs”!

Temos visto muitas dessas pessoas em nossas igrejas, pessoas que possuem cartão de membro da instituição, mas que provavelmente nunca nasceram de novo e não são membros do corpo de Cristo! Posso até parecer severo na minha crítica, mas então eu pergunto: Qual é o sinal presente em todos que realmente são de Cristo? Vejamos o “selo de autentificação” do documento de identidade daqueles que estão no Reino de Deus:

“Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros” (João 13. 34 e 35)

O amor! O Ágape de Deus! Amor capaz de romper as barreiras da separação e unir todos em Um! Segundo as palavras de Jesus TODAS AS PESSOAS são capazes de reconhecer uma pessoa, ou comunidade, movida pelo amor de Deus.


Isso me leva a refletir: Será que sou conhecido pelo amor que dedico às pessoas? As minhas atitudes levam as pessoas a verem Cristo em mim? A minha igreja demonstra o amor de Deus á sociedade?

Se você também se fez essas perguntas e uma ou mais respostas foram “não”, eu quero te informar que o seu nome está no “SPC da caridade”. A bíblia nos ensina a não dever nada a ninguém, a não ser o amor! Se alguém fica em débito de amor não cumpre a lei de Deus (Romanos 13. 8).

Quando o apóstolo Paulo escreveu a carta á igreja de Colossos, ele sabia que naquele lugar havia Cristãos que estavam perdendo a identidade dos salvos. Ele os exortou a abandonarem os desejos da natureza terrena, e a praticarem as obras próprias de um cidadão do céu.

“Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência e a avareza, que é idolatria; pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência; nas quais também, em outro tempo, andastes, quando vivíeis nelas. Mas, agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca. Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; onde não há grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos. Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade, suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também” (Colossenses 3. 5 ao 13).

A mensagem do novo nascimento deve voltar ao nosso meio! Não podemos admitir que valores terrenos venham soterrar o verdadeiro caráter cristão com uma máscara de modernidade! A mensagem de Jesus a Nicodemus continua tão nova como naquela visita noturna: Necessário é nascer de novo!

Demorou um pouco, mas Nicodemus entendeu a mensagem. O líder que esteve aquela noite com Jesus, mais tarde se tornou um defensor do mesmo diante do sinédrio!  O evangelho ainda tem o poder de transformar o mais vil dos homens, que tinha o seu nome nos cartazes de “inimigos públicos”, em uma nova criatura, possuidora de uma identidade divina! Realmente um novo homem!

O novo homem, renovado pelo conhecimento da graça divina, tem que ser um baluarte da paz e da união, para que ele possa ser identificado como cristão. Bondade, paciência, perdão, humildade, todos esses são elementos do caráter daquele que é “um em Cristo”! E o que vai “dar liga” a tudo isso é o amor:

“E, sobre tudo isto, revesti-vos de caridade, que é o vínculo da perfeição” (Colossenses 3. 14).




Nos ajude com o seu comentário.

Entre em contato conosco:








2 comentários:

Pb. Glauko Santos disse...

Excelente artigo, nobre irmão em Cristo!
Paz seja consigo.
Continue! Siga em frente e mantenha a marcha!
O nosso Deus seja na sua preciosa vida sempre!
Blog "Kerigmatikos ou Didatikos".
PbGS - glaukosantos.blogspot.com

Anônimo disse...

É triste, mas isso é muito comum atualmente entre os 'evangélicos'. As pessoas não sem importam com o próximo, e pior, dizem a todos ser seguidores de Cristo, quando não fazem diferença alguma no mundo podre que nós vivemos.
Que Deus tenha misericórdia de nós. E cada dia nos dê graça e sabedoria, para sermos a diferença neste mundo.

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.