domingo, 10 de abril de 2011

Desculpar ou perdoar, qual a atitude de Deus?


         Para a grande maioria dos usuários de nossa língua pátria esses dois verbos (perdoar e desculpar) são sinônimos, ou seja, ambos possuem o mesmo significado. Na faculdade eu aprendi que não existem sinônimos perfeitos, senão não era necessário existir duas palavras.
         Por muitos anos eu não conseguia distinguir desculpar de perdoar, até o dia em que meu grande amigo Vinícius Lampart (saudade gaucho) me ajudou a entender a diferença.
         Seguindo o meu costume de usar ilustrações para aplicar a mensagem, vou contar um fato do meu passado do qual me envergonho, mas que servirá para explicar essa diferença.
         Há uns dez anos atrás eu estava com a agradável tarefa de cuidar de minha irmã caçula (te amo bebê), nessa época minha maninha tinha uns oito anos de idade. A Bianca era uma criança cheia de energia, o que é normal para aquela idade, ela estava brincando pela casa enquanto eu jogava Final Fantasy VII no Playstation (good times).
         Sinceramente não me lembro o que houve, eu sei que durante a sua brincadeira a Bianca acabou fazendo algo que me irritou muito. Aborrecido eu tive que desligar o vídeo-game e dar um banho nela, enquanto eu lhe dava uma bronca ela chorava e pedia desculpas.
         Antes de contar o que aconteceu em seguida, eu preciso avisar que nessa época eu ainda não conhecia ao Senhor Jesus. Eu fiquei tão irritado com a situação que acabei batendo na Bia acima da medida, não foi nenhum espancamento, mas um tapa um pouco mais forte.
         Nesse momento eu tenho que interromper a narrativa para começar a explicação. Enquanto chorava a Bianca pedia desculpas, ou seja, ela gostaria que eu retirasse a culpa do ocorrido de seus ombros.
         O prefixo (des) antes da raiz semântica (culpa) traz o significado de “retirar a culpa”. A Bianca gostaria que eu acreditasse que ela não tinha culpa do ocorrido. Não era nada premeditado e ela era inocente.
         Jesus usou apenas uma vez a palavra “desculpa” em João 15. 22:
         “Se eu não viera, nem lhes houvera falado, não teriam pecado, mas, agora, não têm desculpa do seu pecado”.
         Jesus estava afirmando que se nós não O tivéssemos conhecido, ou ao padrão moral de conduta ensinado na bíblia, não teríamos culpa dos nossos pecados. Mas, agora que temos conhecimento do pecado, não podemos simplesmente nos escusar.
         Esse ensinamento é tão reincidente quanto necessário: Todos pecamos, e por mais que tentemos inventar desculpas, sabemos disso. Afinal, quem não sabe que mentir é errado? Ou roubar?
         Eu até acredito em pecados involuntários, erros que cometemos sem perceber. Porém, afirmo que esses não passam de 0,2 por cento de nossos pecados.
         Realmente a Bianca merecia ser desculpada, ela não tinha culpa do fato que eu não consigo me lembrar. Eu, por outro lado, estava mais encrencado...

         Alguns minutos mais tarde, eu estava sentado no sofá e percebi que a nossa caçulinha estava me espiando de longe. Aquele olharzinho misto de carinho e receio me quebrou. Com um gesto eu a chamei para perto e a coloquei no colo, bastou passar a mão em seu cabelo para ela se aconchegar no meu peito e chorar baixinho.
         Abraçando a minha menina eu pensei em pedir desculpas, mas na hora só consegui dizer:
         - Me perdoa bebê.
         Eu merecia desculpas? Não! Eu poderia ter controlado o meu mau humor, poderia ter dado uma palmada mais branda, entre outras alternativas possíveis. Eu era um culpado, um criminoso sentenciado pela justiça do coração de minha maninha. Seria justo se ela ficasse “de mal”, se ela decidisse nunca mais me dar um beijo eu entenderia.
         Com Deus é a mesma coisa, mesmo conhecendo as suas leis morais escritas em nossa consciência, nós decidimos nos tornar réus do inferno. Deus não tinha nenhuma obrigação de nos livrar de sua justiça, entretanto, movido pelo seu grande amor por nós, Ele decidiu nos ceder o perdão.
         Isso é perdoar, reconhecer que uma pessoa é culpada, mas decidir retirar a queixa e nunca mais se lembrar dela. A bíblia contém muitas referências à capacidade divina de perdoar:
         “Pois tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para com todos os que te invocam” (Salmo 86. 5).
         “Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno, os seus pensamentos e se converta ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar” (Isaias 55. 7).
           “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1. 9).
         Reconheça os seus erros, busque ao Senhor e Ele irá perdoar os seus pecados.
         Aliás, minha maninha me perdoou e em poucos minutos estávamos brincando juntos. Ela não podia entender a minha felicidade de desfrutar da liberdade cedida pelo perdão.
         Desfrute da liberdade e da comunhão cedida por Deus!

Conheça a nossa página no Facebook


Meu twitter: @alexfabio_c




0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.