quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Duas gerações, uma mesma mensagem.



           Nesse último Domingo (dia 29/08/2010) eu assisti ao remake de karatê Kid, estrelado por Jaden Smith (filho de Will Smith) e Jackie Chan. Em minha opinião o filme é a melhor experiência cinematográfica do ano! 
            Eu resolvi anunciar essa opinião a um grande amigo, e aí começou o debate. Foi quase uma hora de conversa no MSN sobre a validade do filme atual como uma recontagem do original dos anos 80 (estrelado por Ralph Macchio e Pat morita ).
            Não vou entrar em detalhes sobre o que conversamos, para quem quiser ouvir uma boa conversa sobre esses filmes eu recomendo o podcast do site Cinema com Rapadura (clique aqui para ouvir o rapaduracast sobre Karatê Kid).
            O meu maior argumento para defender o filme atual como merecedor de carregar o nome da franquia foi acerca da mensagem. Como eu publiquei no meu twitter (www.twitter.com/alexfabio_c), eu estava revivendo a minha infância. A mensagem de amizade e honra é a mesma do filme original. Durante a nova película nós somos presenteados com várias cenas e falas do filme original (a cena da mosca e dos palitinhos é brilhante e hilária).
            Dois filmes, em duas gerações, com a mesma mensagem.
            Isso me levou a meditar sobre as mensagens dos obreiros da minha geração, será que nós estamos ministrando o mesmo que as antigas gerações? Cajados estão sendo passados e o que estamos fazendo com eles?
            Vivemos dias em que muitas mensagens adulteradas estão invadindo os nossos púlpitos: Muitos estão exaltando as bênçãos acima do abençoador; muitos pregam o sucesso terreno ao invés da conquista do Reino de Deus; estão sujeitando o Criador à criatura.
            Uma geração de homens e mulheres de Deus, que transformaram o Brasil em uma as maiores nações evangélicas do mundo, está vendo o fruto de seu trabalho seguir por caminhos errôneos. Cabe a nós, obreiros do presente e jovens comissionados, levantar-mos a bandeira do cristianismo autêntico. Somente assim venceremos os modismos e a nossa fé ultrapassará gerações.
            Uma transição de obreiro muito conhecida está nas páginas da bíblia sagrada: Quando Josué assume a direção do povo hebreu no lugar de Moisés. Josué era o assistente pessoal de Moisés e tinha aprendido lições preciosas com o libertador e legislador do povo hebreu. E também era a pessoa mais capacitada para os próximos desafios do povo de Deus.
            Existem duas passagens que ilustram a transição sadia da geração de Moisés para a de Josué:
            A primeira está em Êxodo 17. 8 ao 13. “Então, veio Amaleque e pelejou contra Israel em Refidim. Pelo que disse Moisés a Josué: Escolhe-nos homens, e sai, e peleja contra Amaleque; amanhã, eu estarei no cume do outeiro, e a vara de Deus estará na minha mão. E fez Josué como Moisés lhe dissera, pelejando contra Amaleque; mas Moisés, Arão e Hur subiram ao cume do outeiro. E acontecia que, quando Moisés levantava a sua mão, Israel prevalecia; mas, quando ele abaixava a sua mão, Amaleque prevalecia. Porém as mãos de Moisés eram pesadas; por isso, tomaram uma pedra e a puseram debaixo dele, para assentar-se sobre ela; e Arão e Hur sustentaram as suas mãos, um de um lado, e o outro, do outro; assim ficaram as suas mãos firmes até que o sol se pôs. E, assim, Josué desfez a Amaleque e a seu povo a fio de espada”.
            Observe como o jovem obreiro vencia enquanto obedecia e estava sobre as bênçãos do líder da congregação. Perceba também a importância de ser ter companheiros nos momentos em que faltam as forças, Arão e Hur estavam prontos a ajudar o líder. Acho linda a atitude de eles oferecerem conforto e apoio a Moisés, ao invés de tomarem o cajado e tentarem assumir o lugar do patriarca. A unidade do ministério trouxe a vitória à congregação!
            A segunda passagem está no primeiro capítulo do livro de Josué, quando ele vai assumir a congregação Deus lhe anima com essas palavras: “Ninguém se susterá diante de ti, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei. Esforça-te e tem bom ânimo, porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria. Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo para teres o cuidado de fazer conforme toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares. Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás. Não to mandei eu? Esforça-te e tem bom ânimo; não pasmes, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo, por onde quer que andares” (Josué i. 5 a 9).
            Reforço o alerta aos jovens pregadores, veja as palavras de Paulo ao seu pupilo Timóteo: “Conjuro-te, pois, diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu Reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério” (2 Timóteo 4. 1 a 5).
            Cumpramos os nossos ministérios, honremos os que já estão encerrando a carreira cristã. Nós temos um compromisso de gratidão com os que passaram, e um compromisso de integridade com as gerações futuras!
            Nós somos os responsáveis pela saúde espiritual da igreja do futuro, pense nisso: Duas gerações, uma mesma mensagem.
            “Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus. E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros. Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo” (2 Timóteo 2. 1 a 3).

           


1 comentários:

Anônimo disse...

O feitiço é um dos filme horror que eu atrair mais atenção, porque saber que é baseado em fatos reais é algo que me intriga muito. Eu acho que a sua produção é muito bom, temos sempre a expectativa.

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.