segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O Fruto do Espírito - Bondade.


 Bondade.

Por Alexfábio Custódio.

Para aproveitar melhor essa matéria leia os artigos anteriores: Introdução. Amor, Alegria, Paz, Paciência, Benignidade.


(Os personagens desse conto são fictícios, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência).

Jeremias estava com a bíblia e um dicionário bíblico abertos sobre a mesa de seu escritório, ele sempre reservava uma parte da manhã para o estudo das escrituras. Nesse dia ele estava com dificuldade de compreender uma parte do texto estudado:

"E perguntou-lhe um certo príncipe, dizendo: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna?  Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é Deus” (Lucas 18. 18 e 19).

"Ninguém há bom, senão um, que é Deus”. Jeremias compreenderia essa atitude de qualquer ser humano usado na bíblia, porém, não parecia coerente Jesus fazer tal afirmação. Ele resolveu anotar a dúvida em uma caderneta para depois perguntar ao pastor ou ao professor da escola dominical.

O homem fechou os livros e os guardou no lugar reservado a eles em sua estante. Voltando à sua cadeira ele resolveu orar, uma alegria incomensurável tomou conta de seu ser, ele não podia entender como havia vivido mais de cinqüenta anos sem conhecer a Jesus.

O comerciante lembra com alegria do milagre que o conduziu a Jesus. Um funcionário de sua fazenda machucou-se gravemente ao usar uma moto serra, abrindo uma ferida em sua perna direita. O socorro foi rápido, o rapaz foi operado e ficou alguns dias hospitalizado. Jeremias acompanhava o caso de perto, o funcionário ainda corria o risco de perder a perna ferida.

Certo dia, durante o horário de visitas, Jeremias viu que um homem aparentemente debilitado foi visitar o enfermo.

 - A paz do Senhor Sílvio – Disse o senhor ao entrar – Como você está?

 - Estou preocupado pastor, ainda corro risco de ficar sem a perna.

- Vamos orar meu filho, Deus é bom e extremamente poderoso para te curar desse mal.

Jeremias duvidava que alguém poderia resolver esse caso, o médico havia acabado de lhe confidenciar que apenas esperava a perna desinchar para poder amputar a parte perdida.

Após a oração o pastor se despediu de todos e saiu para visitar outros enfermos. Dois dias depois Jeremias recebeu uma ligação que mudou a sua vida:

- Patrão? Sou eu o Sílvio.

- Diga rapaz, o que houve?

- Eu preciso de alguém que me leve para casa, minha perna está bem melhor e eu recebi alta do hospital.

 - Sua perna melhorou? – Perguntou o comerciante com o coração acelerado – Como?

 - Foi Jesus seu Jeremias, ele me curou.

 - Estou indo para o hospital te buscar, me aguarde.

Jeremias desligou o telefone e saiu direto para o hospital, ao chegar ele encontrou o médico do Sílvio e perguntou:

- Doutor, como está o Sílvio?

- Jeremias eu nunca vi algo assim, em dois dias a perna dele melhorou como que por mágica. Ele está liberado para continuar o tratamento em casa. Só precisa ficar uns vinte dias de repouso para a cicatrização completa.

Chegando ao quarto ele encontrou Sílvio e sua esposa Carla orando com uma jovem senhora.

- Patrão essa é a irmã Amanda, esposa do pastor Júlio, estamos agradecendo a Deus pelo milagre.

Visivelmente emocionado Jeremias pediu a Amanda o telefone da igreja e preparou tudo para o translado do funcionário.

No dia seguinte ele resolveu ir pessoalmente conversar com o pastor, e após algumas horas de diálogo (que para ele passaram rapidamente), Jeremias havia pedido a Deus o perdão de seus pecados e aceito a Jesus como Senhor de sua vida.

As recordações foram interrompidas pelo toque do telefone celular, era a sua esposa Odete ligando:

- Jeremias você vai almoçar em casa? Eu preciso ver alguns fornecedores e devo ficar fora o dia todo, mas deixo algo pronto se você quiser.

- Não precisa amor, como algo por aqui mesmo, vá com Deus.

- Tudo bem então, beijo!

Jeremias sempre se considerou um felizardo por ter se casado com a Odete. Uma mulher guerreira que sempre esteve ao seu lado, mesmo quando ele era um simples vendedor ambulante. Juntos eles conquistaram muitas coisas, hoje eles possuem o maior supermercado da cidade, algumas lojas de artigos variados e uma fazenda de criação de gado.

Ela realmente merecia usufruir dos frutos desse trabalho. Infelizmente às vezes ela abusava da condição conquistada, ele descobriu que algumas pessoas a chamavam de “Dona Encrenca”, devido a alguns atos de soberba.

No início Odete estranhou a repentina conversão do marido, contudo não fez nenhuma objeção. Porém,ao observar alguns atos generosos de Jeremias, ela começou a se preocupar.

Além do seu bom dízimo, Jeremias fazia boas ofertas em dinheiro, ajudou a igreja a trocar um veículo que já estava velho, e nos períodos de festividades da igreja ele sempre doava algumas das melhores rezes de corte da fazenda.

A primeira grande discussão do casal aconteceu no dia em que Jeremias disse à esposa:

- Amor, lembra-se do Jair e da Dalva?

Odete se lembrava daquele casal que por muitos anos trabalhou para eles. Eles haviam se mudado para a capital por causa de um tratamento de saúde da Dalva.

- Sim, você tem notícias deles?

- Eu os encontrei no culto ontem.

- Que bom amor, como está a Dalva?

- Ela está bem melhor, mas eles estão com problemas financeiros. Eles tiveram muitos custos no tratamento dela.

- Eu te conheço meu velho. Você quer contratá-los de volta?

- Mais que isso Odete. Eu queria doar para eles uma parte da fazenda, aquelas terras próximas à rodovia.

- Eu não concordo. – Disse Odete alterando o tom da voz. – Agora você pretende dividir os nossos bens?

- Como assim Odete?

- Você tem feito muitas doações ao povo da igreja, esqueceu o quanto é difícil ganhar dinheiro?

- Meu amor, Deus nos ajudou a vencer na vida, sertã que não podemos ajudar um casal de amigos em necessidades?Nós quase não usamos aquelas terras.

- Também gosto deles Jeremias, mas eles sempre foram bem pagos por nós, e serão se os empregarmos novamente. Porém, se você resolver premiar todos os que nos ajudaram nesses anos, vamos perder tudo que lutamos para conquistar.

Essa questão durou muitos dias, no final Odete resolveu ceder ao desejo do marido. Jeremias acredita que Deus havia ouvido a sua oração sobre o assunto, ele percebeu que havia um propósito divino em tudo isso.

Odete sempre visitava alguns fornecedores de cidades vizinhas. Ela gostava de dirigir o carro importado que ganhara de presente do marido. Ao voltar de uma dessas viagens, ela estava dirigindo no meio de uma chuva muito forte. Ao tentar fazer uma curva fechada ela perdeu o controle do carro. O veículo saiu da pista e capotou várias vezes por um terreno íngreme.

Ao despertar, Odete estava com uma grande dor de cabeça! Quando ela abriu os olhos, o cenário era totalmente desconhecido. Ela estava deitada em uma cama de casal dentro de um quarto humildemente mobilhado. Uma janela de madeira fechada por uma tramela e um portal que tinha um lençol como divisória eram os acessos para aquele local.

Uma mulher afastou o lençol que servia de porta e entrou no quarto. Demorou um pouco, mas Odete reconheceu a sua anfitriã.

  - Dalva?

- Você está bem dona Odete?

- Estou com uma dor de cabeça forte. O que houve? Onde estou?

- A senhora sofreu um acidente com o seu carro. Eu e o meu marido escutamos o barulho e fomos ver o que era. Nós furamos o saco de ar que a protegia e a trouxemos para a casa que vocês tão bondosamente nos deram.

- Onde está o Jair?

- Ele foi a pé procurar o patrão Jeremias.

- A pé? Naquela chuva forte? Por que ele não foi na caminhonete?

Jeremias havia deixado uma das caminhonetes da fazenda sobre a responsabilidade do casal.

- Ela está com defeito. Nós íamos ao culto e ensino na igreja com ela, mas graças a Deus ela não funcionou. Vou mostrar o milagre que Deus fez na vida de senhora.

Dalva moveu a pequena tramela e abriu a janela. Odete logo entendeu o que a mulher estava querendo dizer. Uma luz avermelhada e uma nuvem de fumaça mostravam que algo estava em chamas.

- Havia um cheiro forte de gasolina quando nós a retiramos do carro. – Disse Dalva. – E logo depois que chegamos em casa houve uma forte explosão.

Odete percebeu que, se a caminhonete estivesse funcionando, ela estaria no carro quando houve a explosão. Ou ainda, se o marido não tivesse dado aquelas terras a esse casal, não haveria ninguém para socorrê-la. Uma frase de Jeremias começou a ressoar em sua mente tumultuada:

- Odete, eu não sei te explicar, mas sinto que Deus quer nos abençoar através dessa atitude!

Ele havia dito isso em respeito à doação do terreno ao casal.

Quando Jeremias finalmente chegou, encontrou a sua esposa em pranto. A abraçá-lo ela disse:

- Desculpe meu amor por ser ranzinza contigo. Deus é bom, Deus é bom.

Nesse momento Jeremias entendeu as palavras do Senhor Jesus. Por mais que ele pudesse fazer o bem, nada se equipara às dádivas planejadas e arquitetadas pelo Pai Celeste.

Algum tempo depois da sua conversão, Odete se livrou da alcunha de “dona encrenca”. Através de muitos atos de bondade, várias pessoas conheceram e aceitaram o amor de Deus.
­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­

“Oh! Quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que te temem, e que tu mostraste àqueles que em ti confiam na presença dos filhos dos homens” (Salmo 31. 19).

A bondade é a prática do amor e da benignidade. È o desejo de fazer o bem levado às vias de fato.

Todos os seres humanos são capazes de realizar boas ações, gestos genuínos de bondade. Assassinos, corruptos, traficantes, etc. Todos esses exemplos, apesar da má índole, podem ser bons àqueles aos quais desejam fazer o bem.

Então, como podemos diferenciar a bondade natural com a cedida pelo Espírito Santo aos crentes? Através de alguns fatores, motivação e abrangência:

Motivação. Algumas pessoas realizam boas atitudes motivadas por interesses pessoais. Enaltecer o próprio nome através da “propaganda filantrópica”; Conquistar favores através da lei do “toma lá, dá cá”; Alguns tentam limpar a consciência de seus pecados através de obras caridosas (contudo, sem se arrepender dos mesmos e aceitar a remissão oferecida por Jesus). O cristão é motivado a fazer com que as pessoas conheçam a Deus através de suas atitudes: “Porque o fruto do Espírito está em toda bondade, e justiça, e verdade” (Efésios 5. 9).

Abrangência: Os atos de bondade surgem quando a pessoa desenvolve algum afeto pela pessoa/público alvo. Um homicida pode gostar do filho do vizinho e lhe comprar um presente de aniversário. Para o cristão, a abrangência se torna bem maior, o público alvo da igreja de Jesus é todo o mundo . Todas as pessoas em sua volta são um alvo em potencial para você exercer a bondade doada por Deus.

A bíblia afirma que Deus confirma os caminhos do homem bom (Salmo 37.23). A comunhão com o Espírito Santo nos enriquece com um bom tesouro do céu, passe a distribuir do bom tesouro depositado em seu coração.

“O homem bom, do bom tesouro do seu coração, tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração, tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca” (Lucas 6. 45).



Nos ajude com o seu comentário.

Entre em contato conosco:








0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.