terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Neste natal, há lugar para Jesus em sua vida?


O estalajadeiro equilibrou muitos copos em cima de uma prancha de madeira e caminhou cautelosamente pelo estabelecimento. Ele não ainda não acreditava na quantidade de pessoas que estavam alojados em seu estabelecimento.
Desde que o imperador César Augusto havia decretado o senso em todo o império, o hospedeiro sabia que poderia faturar muito nesses dias. Entretanto, o número de pessoas que estavam em Belém da Judéia excedeu as suas expectativas. E não as dele, todo o comércio de Belém estava faturando com esses consumidores extras!
Finalmente ele chegou à grande mesa de jantar repleta de hóspedes. Após servir aos clientes ele se sentou para descansar um pouco. Era realmente difícil alimentar tantas pessoas, mas o lucro recompensaria todo o trabalho árduo. Infelizmente a sua pequena estalagem já estava lotada, impedindo-o receber mais pessoas.
Batidas à porta chamaram a sua atenção. Ele foi prontamente atender. Ao abrir a porta deparou-se com um casal.
- Senhor, nós precisamos de um lugar para ficar. – Disse o recém chegado.
- Infelizmente estamos lotados amigo.
- Por favor, precisamos de ajuda! A minha esposa está prestes a dar a luz ao bebê, ela não pode ficar ao relento.
- Eu entendo a sua necessidade, mas não há lugar para vocês aqui, sinto muito.
E assim, a porta fechou-se diante do casal!
“E deu à luz o seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem” (Lucas 2. 7/ grifo nosso).
Essa noite em Belém da Judéia lembra muito o período festivo do final de ano. O comércio celebra antecipadamente o “melhor natal dos últimos anos”, cujo volume de vendas ultrapassa em no mínimo quinze por cento aos dos anos anteriores. As pessoas aguardam ansiosamente os momentos em que a família estará reunida em volta de uma mesa farta. Crianças esfregam as mãos ansiosas, esperando aquele brinquedo da propaganda televisiva.
A agitação e a empolgação são tão grandes, que muitos ignoram o ruído vindo da porta:
Toc, toc, toc.
O dono da festa, o maior presente de natal (clique aqui para ler esse outro artigo), está à porta. Será que há lugar para ele em sua vida?
O estalajadeiro de Belém recusou-se a receber uma mulher prestes a dar a luz, está certo que ele não conhecia a importância daquela família, mas era uma emergência! Caso de vida ou morte! Se coloque por um minuto no lugar desse homem, você não daria um jeito? Haveria espaço para Jesus nascer em seu lar, em sua vida?
Ele escolheu não ceder um lugar para Jesus.
O apóstolo João, na introdução de seu evangelho, mostra como Jesus foi rejeitado:
 “No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele, estava a vida e a vida era a luz dos homens (...) Ali estava a luz verdadeira, que alumia a todo homem que vem ao mundo, estava no mundo, e o mundo foi feito por ele e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam” (João 1. 1 a 4; 9 a 11/ grifo nosso).
O presente de Deus para a remissão dos pecados da humanidade foi, e continua sendo, rejeitado por muitos. Porém, apesar de todas as dificuldades, Jesus nasceu!
Para cumprir o propósito divino de resgatar a humanidade para Deus, Jesus experimentou todo o tipo de rejeição. Muitos não o quiseram receber em suas sinagogas, terras, cidades, vidas.
Vale sempre a pena ressaltar que Jesus venceu o império da morte e do pecado. Hoje ele não é mais aquele menino prestes a sair do ventre materno, Deus o tornou o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.
Mesmo assim, Ele continua insistindo:
Toc, toc, toc.
“Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo” (Apocalipse 3. 20).
Há espaço para Jesus em sua ceia? Em sua casa? O seu coração já serve de morada para Ele, ou está cheio dos desejos efêmeros e pecaminosos?
Receba e celebre a Jesus! Somente ele pode te presentear com a gloriosa vida eterna na presença de Deus.  É certo que a introdução do evangelho de João mostra a rejeição do Messias, mas também revela o presente para os que Nele crêem.
“Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que crêem no seu nome, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade! (João 1. 12 a 14/ grifo nosso).
Tenha um feliz natal, com Ele habitando em sua vida!


Visite meu perfil no Facebook

Meu twitter: @alexfabio_c






0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.