sábado, 21 de abril de 2012

E se você estiver errado?

Por Alexfábio Custódio.

Todos nós possuímos tarefas a serem executadas no nosso cotidiano. Cada um desenvolve uma prática ou método para concluí-las. Na verdade, criamos regras absolutas para quase tudo! E chegamos até a ficar irritados quando nosso modus operanti é questionado. Alguns exemplos podem ajudar nessa ilustração:



No trabalho:
Eu tenho o costume de arrumar as bagagens dos ônibus pelo itinerário (vale avisar aos novos leitores que eu trabalho em uma empresa de ônibus), as malas para o final da viagem ficam no fundo do bagageiro e as das próximas cidades mais perto da porta. Como é chato quando percebo que alguém apenas “encaixou” as malas sem essa preocupação com os colegas de trabalho.

Refeição:
Lá estou eu na fila da refeição e acabo de perceber que a panela do arroz está antes da do feijão. Como bom mineiro que sou, o feijão sempre é posto antes do arroz no prato, isso me causa o inconveniente de segurar a fila por alguns instantes.

Lazer:
Meus amigos e eu nos reunimos todas as segundas-feiras para jogar PES (Pro Evolution Soccer / jogo de futebol) no Playstation 3. Nesse momento sempre tem o “mala” palpiteiro: “coloca o Ronaldo Gaucho!” “Joga no 4-3-3.” “Deixa o Robinho como ponta esquerda.”

Alguns casos são engraçados ou constrangedores e outros nos levam à beira de um ataque de nervos. Porém, às vezes alguém nos mostra que nosso método é falho ou defasado.

Eu desenvolvi uma técnica para o monitoramento do caixa da agência, certo dia um amigo me disse que havia um método mais fácil, e se propôs a me ensinar. Em pensamento eu o considerava um herege, como ele ousava contestar o MEU método? Já pensava em queimá-lo em uma fogueira quando o seu argumento fez sentido.

O meu amigo me provou que o método dele era mais fácil e desde aquele dia eu sigo o seu ensinamento. Jesus fez o mesmo em minha vida em uma escala extremamente maior! Ele apontou para o meu modo de vida e disse: “Está tudo errado!”

O contato com a palavra de Deus me convenceu do meu pecado e das graves consequência desses atos (João 16.8). As minhas verdades absolutas se tornaram imundície diante Dele (Isaias 64. 6 a 8).

Infelizmente, nem todos compreendem, confira o testemunho do próprio Senhor:

“O mundo não vos pode odiar, mas ele me odeia a mim, porquanto dele testifico que as suas obras são más.” (João 7. 7).

Jesus nunca pensou duas vezes em afirmar que uma vida mundana desagrada a Deus. Por isso Ele é odiado por pessoas amantes dos seus próprios desejos, com os corações fechados para a mensagem transformadora do evangelho.

 Essa é a fonte para argumentos como: “Por que eu iria me submeter à bíblia? Um livro escrito por comedores de feijão semelhantes a mim.” “Esses cristãos são muito fanáticos, não precisa tanto empenho!” “Pecador? Eu? Mas eu não mato, não roubo, não traio a minha esposa, como assim pecador?” Quero propor uma pergunta aos que pensam de modo semelhante:

E se você estiver errado?

Pense bem, nessa causa não está em jogo uma forma de conduta no trabalho ou no lazer, o resultado dessa questão definirá onde você vai passar a eternidade. Mesmo que o mundo odeie ao Senhor, Jesus se sacrificou para nos retirar do sistema da morte:

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. (João 3. 16).

Nos ajude com o seu comentário. Entre em contato conosco:
 



1 comentários:

Gabriel Flores de A. Machado disse...

Muito bom! Gostei,
da uma passada lá tbm ;)
greatsaviour.blogspot.com

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.