terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Faça sua escolha.

Por Daniel Dourado.

A Palavra Igreja vem do grego ekklesia, que significa uma reunião, uma assembleia, uma congregação religiosa, um chamado para fora, ou seja, uma convocação, uma congregação.

Quando olhamos para o texto dos Evangelhos sinóticos em Mateus 9. 1 a 8, Marcos 2. 3 a 12 e Lucas 5. 18 a 36, vemos elementos de uma Igreja, tantos os elementos bons quanto os que se infiltram nela tentando nos afastar do nosso Senhor Jesus.



A historia desses textos diz respeito a um paralitico que é conduzido por quatro pessoas através de uma abertura no telhado devido á multidão que impedia que esses fossem até o Senhor Jesus, que estava anunciando a palavra de Deus, vejamos dentro deste contexto alguns elementos da Igreja:

1 -- O Senhor Jesus: Ele é o motivo de todas as coisas e o cabeça da Igreja, tudo é por Ele e para Ele, Colossenses 1. 16 a 18 “Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele. E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência”.

Jesus tem que ser o centro da nossa adoração, Ele é o nosso salvador, a Ele toda honra e toda glória, infelizmente vemos pessoas desvirtuando a verdade do evangelho e adorando a anjos, santos, criando coisas a serem honradas, a Igreja de Deus triunfante tem o Senhor Jesus como centro de todas as coisas. Isso fez com que essas quatro pessoas levassem esse pecador até o Senhor, por que se há alguém que pode mudar a vida de um homem, esse é o Senhor Jesus.

2 – Quatro pessoas que conduziam o paralítico: Essas quatro pessoas representam a Igreja verdadeira e intercessora, a Igreja que busca os “paralíticos” no mundo e os trazem para a presença do Senhor.

A nossa missão como Igreja do Senhor na terra é de sermos embaixadores, ministros do evangelho, de sermos a ponte entre o mundo e o Senhor Jesus. Mateus 28. 19 a 20: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém”. E ainda em 1 Pedro 2. 9 “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”.

3 – Uma multidão: A multidão representa as pessoas que estão na Igreja, às vezes até exercem cargos de liderança, mas a única coisa que eles sabem fazer é impedir as pessoas de se aproximar de Jesus, Marcos 2. 4: “E, não podendo aproximar-se dEle (Jesus), por causa da multidão”. Antigamente os fariseus colocavam fardos pesados, ou seja, regulamentações que dificultavam que o novo convertido (prosélito) pudesse se aproximar de Deus, Mateus 23. 13: “Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando”. Mas nos dias de hoje o que temos visto, é outro tipo de barreira, a estratégia da liberdade. Tudo pode e tudo é permitido, como no tempo da Igreja de Corinto, havia nessa congregação um partido que defendia essa ideia do tudo posso. Hoje também tudo se torna permitido desde que os interesses de determinadas pessoas sejam atendidos, Igrejas falsas e mornas tem surgido aos montes todas visando o lucro pessoal, como nos relata o Apostolo Paulo e sua segunda carta a Timóteo (4. 3 e 4): “Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas”.

4 -- O paralitico. Podemos ver esse personagem de duas formas: O pecador no mundo ou a pessoa que esta dentro da Igreja e está atrofiada espiritualmente falando. já não consegue se mover sozinho, depende sempre dos outros para que possa se locomover.

Esse paralitico possuía um problema, mas em um determinado momento seus amigos o levaram ao encontro daquele que tinha poder para perdoar os seus pecados e transformar a sua vida. Neste dia eu não sei qual o seu problema, mas eu sei que Jesus pode transformar a sua vida.

Temos esses quatro elementos, e a pergunta que eu quero deixar para nossa reflexão é: O que queremos ser na Igreja do Senhor? Queremos ser uma Igreja de verdade que ora, que intercede pelos aflitos, que ama as almas, que faz a obra com amor e seriedade e que tem compromisso com a obra de Deus? Ou uma Igreja insípida, que impede as pessoas de se aproximar do Senhor Jesus (afinal o nosso proceder no dia a dia é o nosso testemunho aberto para aqueles que convivem conosco), que vai aos cultos para reparar, murmurar, apenas para observar? Ou ainda queremos ser sempre o paralitico que sempre vai precisar de ajuda, que não toma uma postura quanto a sua salvação, quanto a sua transformação, que não permite-se ser levado à presença do Senhor Jesus?

A escolha é particular, que o Espirito Santo do Senhor nos ilumine e nos conceda força para sabermos aquilo que mais nos convêm e as consequências de nossas escolhas.

Na fé e em Cristo.

Daniel Dourado é diácono da Assembleia de Deus em São José do Rio Preto e engenheiro agrônomo.
e-mail: agronomo_dourado@hotmail.com
Facebook


0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.