quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

A intercessão.

Por Daniel Dourado.

Devemos sempre louvar e agradecer a Deus, por Ele sempre estar ao nosso lado. Ele nos forneceu uma ferramenta maravilhosa que se chama oração, através da qual, juntamente com outros elementos maravilhosos como a fé e o sacrifico vicário do Senhor Jesus, faz com que tenhamos acesso a Ele como vemos em Hebreus 10. 19 e 20: “Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou.”

É através dessa ferramenta chamada oração que temos a oportunidade de exercer uma das principais funções do Cristão: a intercessão. Podemos definir intercessão como a oração contrita e reverente, com fé e perseverança, mediante a qual o crente suplica a Deus em favor de outra pessoa ou pessoas que necessitem de intervenção Divina em suas vidas.


É interessante notarmos que nos dois casos aos quais Jesus admira a fé da pessoa que se achegou a ele, eram duas pessoas que vinham para interceder por outras, vejamos: Em Mateus 8. 5 a 13 vemos o caso do centurião de Carfanaum e em Mateus 15. 21 a 28, onde vemos o caso da mulher Cananéia.

Aquele centurião deixou de lado a sua autoridade de cidadão romano e foi rogar a Jesus por seu servo que estava enfermo, notamos a semelhança dessa passagem com o que o apostolo Paulo diz sobre o Senhor Jesus em Filipenses 2. 5 a 11: “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai”. Aquele centurião, assim como o Senhor Jesus, não se importou com a sua posição nem com os seus bens, mais pura e simplesmente com a vida de alguém que estimava, e na proporção devida obviamente, fez o que estava ao seu alcance para que a saúde daquele servo fosse restaurada. Quando chegamos perto de Deus para interceder por alguém, devemos reconhecer que o Senhor é poderoso para fazer o que nós estamos a pedir, foi isso que o centurião fez em Mateus 8. 8 e 9. O que fez com que Jesus ficasse maravilhado da fé daquele homem, e assim saúde do servo foi restaurada.

Já no caso da mulher Cananéia, a sua humildade e a forma como se colocou diante de Jesus fez com que ela toca-se o Senhor. O reconhecimento de que Jesus podia fazer o que ela precisava deu a ela a oportunidade de receber a cura espiritual para sua filha, como vemos em Mateus 15. 25 a 2:8 “Então chegou ela, e adorou-o, dizendo: Senhor, socorre-me! Ele, porém, respondendo, disse: Não é bom pegar no pão dos filhos e deitá-lo aos  cachorrinhos. E ela disse: Sim, Senhor, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores. Então respondeu Jesus, e disse-lhe: Mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã”.

Através desses exemplos, notamos o quão maravilhosa é essa ferramenta chamada intercessão, portanto não percamos tempo olhando para a falha de nossos irmãos, mais sim voltemos a Deus em oração intercedendo por eles para que o amor de Cristo sempre prevaleça em nossas vidas.

Na fé e em Cristo.

Daniel Dourado é diácono da Assembleia de Deus em São José do Rio Preto e engenheiro agrônomo.
e-mail: agronomo_dourado@hotmail.com
Facebook


1 comentários:

Anônimo disse...

Estou adorando linda essa história

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.