sábado, 24 de março de 2012

Palavras que ganham batalhas.

 Por Alexfábio Custódio.

O sol está a pino, estamos vivendo a estação mais quente do ano, eu estou vestindo uma armadura completa por cima de uma pesada cota de malha. Eu deveria estar transpirando litros de suor, mas tudo que sinto é um calafrio percorrer todo o meu corpo. Olho para os companheiros enfileirados ao meu lado, homens valentes e exímios conhecedores da arte da guerra, e mesmo assim, percebo olhos assustados se destacando debaixo de seus elmos de combate. A razão para tamanho temor está do outro lado da zona neutra desse campo de batalha.

Um poderoso exército pronto para nos dizimar! Logo esta planície será modificada pela nossa batalha, e temo que nosso sangue estará manchando esse solo. Creio que nunca mais verei meus entes queridos, nunca mais sentirei a brisa em meus cabelos, nem o aconchego do meu lar.

Não consigo me lembrar de como é a sensação de ter coragem, nem mesmo me lembro do motivo de estar defendendo as cores desse exército. Tudo o que desejo é que os segundos parem de se arrastar, que as laminas se cruzem, e tudo termine...

Quem nunca tremeu diante de uma situação crítica? Seja o garoto que dirige desde os doze anos e erra na hora de tirar a carteira de motorista, ou o estudante que percebe que “deu um branco” bem na hora daquela prova importante. A tensão diante da adversidade é capaz de roubar as energias do guerreiro mais capacitado, assim como no pequeno conto introdutório desse artigo.

Meu pastor costuma dizer que uma das armas mais cruéis de Satanás contra o cristão é o desanimo. Uma pessoa desanimada esquece os seus propósitos e objetivos e termina entregue á derrota ou à deserção.

O soldado de nosso conto ficou temerário diante da grandeza do exército inimigo. As sombras da morte rondaram seus pensamentos, sugando toda confiança! Uma das mais eficazes táticas militares para evitar esse mal em um momento tão crucial é a presença de um herói, um grande líder e guerreiro que sirva de inspiração e motivação para os soldados.

Um homem como William Wallace, herói escocês retratado no filme "Coração Valente", interpretado por Mel Gibson, Ele discursou diante de seu temeroso exército de homens comuns ante ao desafio de enfrentar a tirania imposta pela Coroa Inglesa. Assista ao vídeo:



Segue a transcrição do discurso:

William Wallace: Filhos de Escócia! Eu sou William Wallace.

Comentário de um soldado: William Wallace tem sete pés de altura!

William Wallace: Sim, ouvi dizer. Mata homens às centenas. E se estivesse aqui, consumiria o exército inglês com bolas de fogo de seus olhos, e relâmpagos do seu arco.


Eu sou William Wallace! E eu vejo um exército inteiro de homens do meu País, aqui, para derrotar a tirania. Vocês vieram lutar como homens livres, e homens livres que vocês são.

Que vocês farão com essa liberdade? Vocês lutarão?

Soldado: Contra isso? (referindo-se ao grandioso exército inglês que marchava contra eles). Não, nós fugiremos, e viveremos.

William Wallace: Sim, lutem e vocês poderão morrer, fujam, e vocês viverão… pelo menos por enquanto. E quando estiverem morrendo em suas camas, muitos anos depois, vocês almejarão negociar todos os dias, de hoje até aquele dia, pela chance, apenas uma chance, de voltar aqui e dizer a nossos inimigos que podem tirar nossas vidas, mas jamais tirarão… Nossa liberdade!

Outro emocionante exemplo de palavra de ânimo diante da adversidade é o de Aragorn, personagem de “O Senhor dos Anéis”, obra de fantasia medieval de J. R. R. Tolkien. Diante do exército da criatura mais má que a Terra Média havia enfrentado, corações foram fortalecidos pelas palavras do homem destinado a reinar em Gondor. Veja o vídeo.

Transcrição do discurso:

Aragorn: Filhos de Gondor! De Rohan! Meus irmãos. Eu vejo nos vossos olhos o mesmo medo que antes me tirava a coragem. Um dia poderá vir quando a coragem dos Homens falhará, quando nós abandonarmos os nossos amigos e quebrarmos todos os nossos laços de união, mas esse dia não é hoje.

Uma hora de lobos e escudos partidos quando a era dos homens vai chegar a um fim catastrófico, mas esse dia não é hoje!

Neste dia nós lutaremos. Por todos aqueles que nos são queridos nesta boa terra, eu peço-vos para ficar, Homens do Ocidente!

Existe um texto bíblico que se enquadra muito bem nessa situação. Permitam-me fazer uma adaptação dramática do Salmo 20:

O rei Davi passa em revista diante do exército de Israel, o regente percebe vestígios de temor nos olhos de seus compatriotas oriundos de todas as tribos dos filhos de Jacó. Ele para a sua montaria diante de sua tropa e começa a falar:

Homens de Israel, exército do Deus Vivo! Que o Senhor ouça o nosso clamor no dia da mais perturbadora angústia. Que o nome de nosso Deus seja a nossa proteção.

Que o socorro do Senhor venha do Seu santuário, lugar que Ele escolheu para habitar entre os seus servos. Que as bênçãos do Senhor venham como águas refrescantes dos belos montes de Sião!

Que o Senhor se lembre de todas as suas ofertas de gratidão e dos seus holocaustos em agradecimento pela sua misericórdia, amor e provisão.

Que nessa batalha o Senhor lhes conceda o desejo de seus corações! Que todos os seus propósitos sejam cumpridos de forma plena!

Nós nos alegraremos com a vitória concedida por Deus. Arvoraremos pendões e salmos serão entoados, trazendo á memória de todos os ouvintes, o poder de Deus para preservar os seus escolhidos! Então, que o Senhor ouça as suas petições bravos guerreiros!

Agora sei que o SENHOR salva o seu ungido; ele o ouvirá desde o seu santo céu com a força salvadora da sua destra.

Esses homens confiam que vencerão essa batalha por possuírem carros de guerra e muitos cavalos treinados. Contudo, nós faremos menção do nome do Senhor, o nosso Deus.

Uns encurvam-se devido á fadiga e caem, mas nós nos levantamos e permaneceremos de pé, fortalecidos pelo Santo nome do Senhor.

Brandindo a sua espada, o rei aponta para os inimigos e diz:

Salva-nos SENHOR! Ouça-nos o Rei de toda a terra quando clamarmos!

Todos esses exemplos mostram o valor de uma palavra de ânimo no momento de adversidade. “A solicitude no coração do homem o abate, mas uma boa palavra o alegra” (Provérbios 15. 23). A igreja possui a responsabilidade de portar a maior palavra de esperança contra as trevas, a Palavra de Deus!

Como diz o ditado popular, temos que matar um leão por dia. Usando novamente as palavras de meu pastor: A vida só é dura para quem é mole! Vencer sem luta é triunfar sem glória! Quando a adversidade ou o desanimo tentarem minar as suas forças, levante a sua cabeça e lembre-se das palavras do Rei dos reis diante de sua igreja recém-criada.

“É-me dado todo o poder no céu e na terra. e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém!” (Mateus 28. 18b e 20b).


Nos ajude com o seu comentário.

Entre em contato conosco:








0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.