quarta-feira, 28 de março de 2012

Respeite o ungido.

Por Daniel Dourado.

Infelizmente temos visto e ouvido nas ultimas semanas, cenas e noticias que envergonham o evangelho de Jesus Cristo, são maneiras totalmente opostas às quais o evangelho realmente deveria ser conhecido, são muitas as razões desse tipo de noticias, mas eu gostaria apenas de focar no fato da falta de respeito entre ungidos.

O que é um ungido de Deus? Essa palavra no antigo testamento trata-se de uma declaração em que se faz conhecer a escolha de Deus a respeito de um individuo para uma tarefa.

Não é segredo para ninguém que no domingo dia dezoito de março de 2012, foi ao ar uma matéria no Domingo Espetacular, programa da Rede Record de televisão (propriedade do bispo Edir Macedo) em que ocorria uma denúncia de enriquecimento ilícito do apostolo Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus. Estamos falando de dois homens ungidos de Deus, que são lideres de duas das maiores instituições neo-pentecostais de nosso país.

Quando falamos de ungidos de Deus, aprendemos muito com Davi e a sua forma de agir em relação ao seu antecessor, que sim também era um ungido de Deus, Saul.

Temos que ter em mente, que aquele que Deus ungiu só o Senhor Deus tem autoridade para revogar essa unção, vemos isso bem claro quando Davi teve duas oportunidades de matar a Saul (1 Samuel 24. 3 a 5 e 1 Samuel 26. 9 a 11), mesmo sendo vítima de uma perseguição ferrenha,  o temor em seu coração o impediu de fazer isso.

Há uma necessidade urgente nos nossos dias que se floresça em corações verdadeiramente cristãos o respeito pela unção do próximo, pelo ministério alheio. E muito mais do que isso, como podemos ser exemplo para o mundo quando não conseguimos nem resolver as nossas diferenças pessoais.

O apostolo Paulo nos dá uma lição maravilhosa em 1 Coríntios 6. 1 a 8 “Ousa algum de vós, tendo algum negócio contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos? Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas? Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida? Então, se tiverdes negócios em juízo, pertencentes a esta vida, pondes para julgá-los os que são de menos estima na igreja? Para vos envergonhar o digo. Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos? Mas o irmão vai a juízo com o irmão, e isto perante infiéis. Na verdade é já realmente uma falta entre vós, terdes demandas uns contra os outros. Por que não sofreis antes a injustiça? Por que não sofreis antes o dano? Mas vós mesmos fazeis a injustiça e fazeis o dano, e isto aos irmãos”. 

É necessário um respeito mutuo às diferença, mas o mais importante, é que a palavra de Deus seja pregada e almas sejam salvas. Não ha mais tempo para disputas pessoais, e interesses próprios, devemos buscar primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, não façamos uma inversão de valores tal qual o mundo tem feito. Há uma promessa muito linda de Deus para o seu povo em Mateus 16. 18: “sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

Na fé e em Cristo. 

OBS: Sei que alguns dos leitores podem não concordar com esse texto, convido os amigos a exporem os seus argumentos nos comentários desse artigo.
Daniel Dourado é diácono da Assembleia de Deus em São José do Rio Preto e engenheiro agrônomo. e-mail: agronomo_dourado@hotmail.com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.