quarta-feira, 2 de maio de 2012

Cavando buracos.


Por Daniel Dourado.

Um dia, o presidente de uma grande empresa chega diante da mesa de um de seus diretores, e lhe disse: Eu tenho uma tarefa muito importante para o senhor.

O diretor entusiasmado com a oportunidade de mostrar o seu valor ao chefe lhe respondeu prontamente: Estou à disposição, qual é a tarefa?

O presidente explicou que estava precisando cavar um buraco no pátio da empresa, pois pensava em erguer uma pilastra naquele local, e que o diretor estava responsável por executar aquela tarefa sozinho.

O diretor ainda em choque, pois o mesmo pensava que o seu chefe lhe daria uma grande tarefa, talvez ate mesmo o promove-se para vice-presidente. Ele já estava há tantos anos ali na empresa, sempre servindo, fazendo o que lhe mandavam. Naquele momento engoliu a sua frustração e visivelmente contrariado começou a trabalhar na escavação daquele buraco. Contudo, a todo o momento ele murmurava daquela tarefa, dizendo: Como que pode? Há tantos anos que venho servindo essa empresa, e agora o que sobra para mim, cavar buracos? Toda vez que o chefe se aproximava, ttinha a oportunidade de vê-lo triste e abatido por aquela tarefa, amargurado, e muitas vezes proferindo palavras contra o próprio chefe e a empresa.

Depois de algum tempo, aquele diretor terminou a tarefa, o chefe diz muito bem, pode voltar aos seus afazeres.

Passado algum tempo, o presidente da empresa, chega ao escritório de outro diretor e o convocou dizendo que também tinha uma tarefa muito importante para ele.

O outro diretor disse prontamente: Estou aqui, pode dizer o que o senhor precisa.

O presidente disse: Preciso que o senhor cave um buraco ao lado do que o seu companheiro fez.
Ao contrario de seu companheiro, esse diretor se mostrou alegre e disposto a fazer aquilo que o seu chefe pediu.

A todo o momento que as pessoas passavam, o viam cantando, alegre, o seu chefe passava, ele fazia questão de pergunta se tava da forma que ele gostaria, e estava prontamente disposto a corrigir falhas no seu serviço, pronto para fazer o melhor.

Quando este terminou de cavar, ele havia sido aprovado pelo seu patrão. Agora o presidente sabia em quem podia confiar, e a quem podia elevar dentro de sua empresa.

Essa pequena historia ilustra muito bem o que por muitas vezes passamos e não entendemos:

O Presidente é o Senhor Jesus, os diretores somos nós.

Um dia o Senhor virá até nós e nos convidara a cavar um buraco (passar por um momento adverso).

Vimos dois exemplos, os dois tiveram que cavar buraco, só que o primeiro do mesmo jeito que entrou saiu, pois não enxergava a mão de Deus por trás daquela tempestade.

Já o segundo estava mais firme, sabia que nada aconteceria na sua vida se não fosse pela vontade de seu Deus, e este conseguiu cavar o seu buraco, e sair para ser elevado pelo seu Senhor.

Temos muitos exemplos na palavra sagrada de homens que cavaram o seu buraco e saíram deste buraco como vencedores, pois reconheciam a mão do Deus todo poderoso. Todos acabam entrando em buracos um dia ou noutro, o mais importante é como nós iremos sair deste buraco, a escolha é nossa. A vergonha deste momento pode nos constranger, mas tenhamos a consciência de que o nosso Deus nos prova para nos aprovar.

Na Fé e em Cristo.
Daniel Dourado é diácono da Assembleia de Deus em São José do Rio Preto e engenheiro agrônomo. e-mail: agronomo_dourado@hotmail.com Facebook
 

1 comentários:

JESUS A SEU FAVOR disse...

esta e para vc meditar!!!!!!!!!!!!!!!!

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.