quarta-feira, 9 de maio de 2012

O Arrependimento das Obras Mortas


Por Daniel Dourado.

“Por isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno. E isto faremos, se Deus o permitir” (Hebreus 6. 1 a 3).

Olhando este texto vemos que os crentes do primeiro século tinham algumas doutrinas que eles chamavam de fundamentos, o escritor da carta fala desses ensinamentos como algo que todos conheciam, ou deveriam conhecer, pois se tratava da base da fé cristã. Essas bases eram: O arrependimento das obras mortas, a fé em Deus, o batismo, a imposição de mãos, a ressureição dos mortos e o juízo eterno.


Estaremos colocando os olhos com carinho no que diz respeito ao arrependimento das obras mortas.

O termo “obras mortas” trata-se da denominação de uma vida de pecado, pois o pecado sendo consumado gera a morte (vide Tiago 1. 13 ao 15). Desta forma, tratamos aqui do arrependimento, ou do nascer de novo, para não mais praticar os frutos da carne descritos em Gálatas 5. 19 ao 21, mais sim a obras do Espírito de Gálatas 5. 22.

Podemos dizer que é impossível para o homem não pecar, já que em 1 Joao 1. 8 diz: “se dissermos que não temos pecados enganamo-nos a nós mesmo”. Então do que se trata o arrependimento das obras mortas, já que todos pecamos e destituídos estávamos da gloria de Deus?

Primeiro é necessário dizer que através do sacrifício de Jesus nós temos a justificação de nossos pecados (vide Romanos 3. 24 a 26), através da fé e da graça em Jesus (vide Romanos 5. 1).

Segundo, é necessário colocar que, aquele que esta em cristo nova criatura é, as coisas velhas já se passaram e tudo se fez novo (1 Coríntios 5. 17), isso quer dizer que: Nós pecamos, porém não vivemos mais na pratica continua do pecado, como acontecia anteriormente, podemos ver isso através do texto de 1 Joao 3. 9 “ Aquele que é nascido de Deus não comete pecados”. Essa frase se encontra no infinitivo, demonstrando que aquele que é nascido de Deus não permanece na pratica continua do pecado. Logo, o arrependimento das obras mortas trata-se de uma vida nova que levamos quando temos aceitado o Senhor Jesus como o nosso salvador (vide Gálatas 2. 20 e Romanos 6. 4 a 7).

Na próxima semana estaremos discorrendo como podemos alcançar o arrependimento das obras mortas, através do reconhecimento de nossa natureza pecadora, Crendo no sacrifício de Jesus na cruz e seguindo a Jesus, andando em Espirito e não na carne.

Na fé e em Cristo.
Daniel Dourado é diácono da Assembleia de Deus em São José do Rio Preto e engenheiro agrônomo. e-mail: agronomo_dourado@hotmail.com Facebook

1 comentários:

Creio no Evangelho disse...

Muito boa a sua postagem e o seu entendimento sobre o tema. Cheguei a essa postagem por causa dos comentário de ubiraci ferreira nesse vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=dReOVWZ8tWQ

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.