sábado, 30 de junho de 2012

A parábola da lente perdida.


Por Alexfábio Custódio.

“Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? E, achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende” (Lucas 15. 8 a 10).

A dracma era uma moeda confeccionada com 3,6 gramas de prata. Essa moedinha valia o equivalente a um dia de trabalho. Essa mulher da parábola de Jesus havia perdido parte de suas economias. Quem sabe ela estivesse economizando para comprar algo para o lar, ou poupando para a educação dos filhos, ou apenas fazendo uma reserva para o futuro, o que importa é que aquela moedinha lhe faria falta.

Dois dias antes da publicação desse artigo eu vivi um dia de dracma perdida. Quando eu cheguei no meu trabalho após o almoço, percebi que havia perdido uma das lentes de meus óculos.

Comecei a procurar diligentemente a minha drac... digo, lente perdida. Olhei sobre a minha mesa de trabalho, no chão da agência, em alguns lugares da rodoviária, mas não encontrei nada. O passo seguinte foi o de refazer mentalmente o trajeto de minha casa até o momento que eu percebi a perca. Eu precisava encontra-la, meus olhos estavam sentindo a falta dos óculos.

Por horas eu tive que me esforçar para atender meus clientes. Engraçado como o mundo fica diferente sem minhas lentes. Era difícil ler no monitor do PC, escrever nos formulários, procurar telefones em listas de letras microscópicas. Sem perder o bom humor, eu comentei em minha conta do Twitter (@alexfabio_c) que havia perdido a lente e coloquei a Hast Tag #ToCegoDosOlhos.

Além da óbvia necessidade visual, essa perda já estava doendo em meus bolsos. Eu liguei para a minha ótica, perguntando se com a receita médica eles poderiam fazer a apenas uma lente para substituir a ausente. A vendedora me explicou que ela era insubstituível, devido à complexidade do conjunto de lentes, não seria adequado colocar no mesmo par de óculos uma lente nova e uma usada. Ou seja, eu teria que fazer um par novo!

Nesse momento, o meu telefone celular tocou, a minha mãezinha havia encontrado a lente na esquina de minha casa!  \o/

 Minha lente única, importante, especial e necessária para mim, estava de volta ao seu lugar, a armação dos meus óculos. Eu sei do que Jesus estava falando, da importância de quando um ser humano único, importante, especial e precioso para o seu Criador é encontrado. Por isso Ele acendeu a candeia de sua graça e têm varrido o mundo com o seu evangelho.

Eu sempre me emociono ao lembrar o dia de minha decisão por Cristo, e então imagino a alegria do céu, talvez com o Senhor dizendo: “Alegrai-vos todos vós anjos celestes, celebrai por que o Alexfábio se arrependeu!”

Você já teve seu nome festejado no céu? Ou ainda não decidiu sair do local onde está escondido? Venha para a luz do evangelho da graça de Deus, reconheça o preço pago por Jesus para que você tivesse essa oportunidade única.

“E esta é a mensagem que dele ouvimos e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma. Se dissermos que temos comunhão com ele e andarmos em trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1. 5 a 7).


Nos ajude com o seu comentário. Entre em contato conosco:

 


0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muito importante para a gente.
Comente, critique, deixe a sua dica para que o Sementes do Evangelho seja um blog relevante.